Publicado em 03/05/19 às 18h03

5 de maio - Dia Mundial da Higienização das Mãos

Ainda a prática mais simples e barata de se reduzir as infecções e promover a segurança de pacientes e profissionais é a higienização das mãos, seja com água e sabão ou com preparação alcoólica.

Mas apesar de ser uma das ações básicas, ela ainda deve ser mais praticada e difundida pelos profissionais nas unidades de saúde, já que, segundo a Organização Mundial de Saúde, 70% dos profissionais de saúde e 50% das equipes cirúrgicas não praticam rotineiramente a lavagem das mãos.
É por isso que o dia 5 de maio foi definido pela OMS como o Dia Mundial de Higiene das Mãos e conta com o apoio da AMIB para esta importante ação. Para evitar que pacientes sejam afetados por infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS). A sepse, por exemplo, é um evento adverso que afeta cerca de 30 milhões de pacientes no planeta.

As responsabilidades devem ser divididas. Não é só papel dos profissionais de saúde realizar o procedimento, mas dos administradores e gestores das unidades e da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) de fazer o controle e garantir ambientes ideais para que os profissionais possam fazer a higienização.
Segundo o Dr. José Melquíades Ramalho Neto, presidente do Departamento de Enfermagem da AMIB, a campanha mundial de higienização das mãos é essencial para a redução dos casos de infecção e de sepse nas UTIs. O Dr. Fabiano Nargel, presidente do Comitê de Infecções da AMIB, chama atenção também para outro fator de risco que a lavagem das mãos pode ajudar a combater: as bactérias multirresistentes. “Elas serão o principal problema que teremos que enfrentar em escala mundial”, afirma.

Como e quando higienizar as mãos

O Dr. Fabiano Nargel chama atenção para as cinco ocasiões em que procedimentos de limpeza são indispensáveis:

  • Antes de contato com um paciente;
  • Antes da realização de procedimentos assépticos, como administração de medicamentos;
  • Após risco de exposição a fluidos corporais;
  • Após contato com um paciente;
  • Após contato com as áreas próximas ao paciente.

O profissional deve lavar as mãos mesmo que tenha tocado apenas as superfícies, mobília e objetos próximos ao paciente, assim como ao sair do ambiente de assistência.
Veja abaixo como lavar as mãos de forma efetiva, com água e sabão ou com solução alcoólica 70%:

55 11 5089-2642
Rua Arminda, 93, sétimo andar – Vila Olímpia São Paulo, SP CEP: 04545-100